Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Interessante... Kosovo

A Sérvia é dividida em três partes: Sérvia Central, Província Autônoma da Vojvodina e Província Autônoma do Kosovo e Metohija.
Kosovo era ocupado por Sérvios desde a Idade Média.
Em 1389 houve uma invasão do Império Otomano e os Sérvios perderam.
Eles eram um Estado bem religioso, principalmente católico.
Na época que estavam sob o domínio do Império Otomano, Foi imposto o Islamismo lá, esse domínio durou de 1459 até 1912.
Isso fez com que muitas famílias emigrassem do território.
A ocupação do Kosovo se deu por albaneses, que com o tempo foram se tornando maioria.
As igrejas (em torno de 1300) e monumentos sérvios no local são prova da ocupação sérvia anteriormente. Alguns são patrimônios da humanidade e muitos foram transformados em Mesquitas para os islâmicos.
Guerra do Kosovo - final dos anos 90: Exército Iugoslavo X Exército de Libertação do Kosovo ou ELK (que era uma guerrilha formada por ALBANESES que, com armas contrabandeadas na Albânia, começaram a atacar prédios oficiais iugoslavos no Kosovo em busca de independência.)
Sérvios foram acusados de limpeza étnica de albaneses kosovares. Porém, o ELK fez sequestros e assassinatos a civis não apenas contra sérvios, mas também contra o povo roma e até mesmo albaneses acusados de colaborar com autoridades sérvias.
Um fato interessante é que o ELK era visto como um grupo terrorista pelos EUA, a França e a Grã Bretanha até 1998, quando foi misteriosamente retirado da lista e passou a ser financiado por eles.
Após falha nas negociações de paz, a OTAN decidiu iniciar um bombardeio de 78 dias não autorizado pelas Nações Unidas a alvos militares e civis na Iugoslávia, cujo resultado vemos até hoje pelas ruas de Belgrado. Depois disso, as tropas iugoslavas se retiraram do Kosovo e deram lugar às "tropas de paz" da OTAN.
Desde 1999, a Província Autônoma do Kosovo e Metohija se encontra sob administração das Nações Unidas e, em 2008, o Kosovo declarou sua independência unilateralmente.
Desde que as tropas sérvias se retiraram, os sérvios que moram no Kosovo ficaram literalmente sem defesa e passaram a ser vítimas de ataques diários de extremistas albaneses. A hostilidade é tanta, que muitos não podem nem sair na rua.
De acordo com o Ministério do Kosovo e Metohija, mais de 1.000 sérvios foram assassinados no Kosovo desde junho de 1999.
Em 2011, há dados que dizem que mais de 10.000 sérvios tiveram seus nomes "albanizados" (por exemplo, Nikolić virou Nikoligi, Petrović virou Petrovigi) e tiveram suas nacionalidades alteradas de "sérvios" para "kosovares". Isso pode ser interpretado muito bem como limpeza étnica.
Há indícios de que o governo do Kosovo seja uma organização criminosa e que recebe apoio dos EUA apenas pelo fato de ter Petróleo.
Desde o fim da Guerra do Kosovo, não há nenhum tipo de conflito armado entre o exército sérvio e o exército dos albaneses kosovares. Eles têm tentado resolver civilizadamente suas disparidades através de rodadas intermináveis de negociações.
Em abril de 2013, o Parlamento Europeu deu à Sérvia um ultimato para aceitar ou não, em um pequeno prazo, de uma semana, a entrada no Kosovo na União Europeia. Isso era inadmissível para os sérvios, que praticamente estavam sendo obrigados a reconhecer a independência do Kosovo e se esquecer dos sérvios que lá vivem.
Eles não aceitaram, claramente.
Há poucos dias, o presidente sérvio, Tomislav Nikolić, mencionou vários fatos verídicos em seu discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas sobre a importância da justiça criminal internacional em reconciliações. A Assembleia foi, então, boicotada por oficias dos EUA e do tribunal de Haia, que claramente não queriam deixar que a verdade fosse dita.
Por fim, assistam a esse vídeo com a música "Ninguém pode saber" que apresenta mais alguns fatos que a mídia ocidental não exibe sobre o Kosovo: http://youtu.be/D4j1uGhjva0

Referências:
http://www.bemvindoaservia.com/2013/04/a-verdade-sobre-o-kosovo.html

Período entre guerras, Segunda Guerra e Guerra Fria - Disciplina de História dos Grandes Conflitos - Aula 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO
DEFESA E GESTÃO ESTRATÉGICA INTERNACIONAL
HISTÓRIA DOS GRANDES CONFLITOS
PROFESSORA: MARIANA KALIL
MONITORA: DOMINIQUE MARQUES DE SOUZA


Fim da Primeira Guerra e Período entre Guerras.

Japão expansionista. Invadiu a Manchúria, região rica em minérios que pertencia a China, em 1931.

1933 – Manchúria como Estado fantoche.

1937 – Itália ocupa a Etiópia. Em outubro de 1935, a Itália de Mussolini afirmou seu imperialismo invadindo a Etiópia, país independente situado no nordeste da África. 

França entra em crise financeira.

Falência do imperialismo na Europa.

Grã-Bretanha vivia o Estado de Bem Estar Social.

Começava a surgir regimes totalitaristas-fascistas na Itália e na Alemanha.

O Comunismo avançava na URSS.

LIBERALISMO -----------------COMUNISMO------------------NAZIFASCISMO

1936: eleições na Espanha  Vitória da esquerda, mas General Franco dá o golpe para evitar o comunismo.

GUERRA CIVIL ESPANHOLA
TROPAS DE FRANCO X ESQUERDA ESPANHOLA
FRANCO  TENDÊNCIAS ARISTOCRÁTICAS E FASCISTAS
SALAZAR = PORTUGAL  APOIOU FRANCO NA ESPANHA
ALEMANHA APOIOU FRANCO E FEZ DA GUERRA CIVIL ESPANHOLA UM ENSAIO PARA A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL, ONDE A ALEMANHA PÔDE TESTAR SEUS EQUIPAMENTOS, TROPAS, ARMAS E ESTRATÉGIAS
HITLER ESTAVA PRONTO PARA SE TORNAR O III REICH E BUSCAVA O ESPAÇO VITAL PARA A RAÇA ARIANA
A FRANÇA RESISTIA AO EXANSIONISMO ALEMÃO, MAS AO SABER QUE ELA CONTINHA E ENFRAQUECIA A URSS, DEIXAVA, ASSIM COMO A GB

Política de Apaziguamento: Manobrada pela França e pela Inglaterra, a Liga expressava sobretudo os interesses desses dois países que, naquele momento, almejavam manter intacta a ordem internacional que os beneficiava. Por essa razão, a Liga das Nações adotou uma política dócil conhecida como política de apaziguamento, sendo tolerante com os avanços imperialistas do Japão, da Itália e da Alemanha.


CONFERÊNCIA DE MUNIQUE
•             1938 – INGLATERRA, FRANÇA, ITÁLIA E ALEMANHA OBRIGAM A TCHECOESLOVÁQUIA A CEDER OS SUDETOS A ALEMANHA.
•             EM 1939, ALEMANHA CONSEGUE TOMAR TODA A TCHECOESLOVÁQUIA
•             ISSO FOI UMA AFRONTA AO ACORDO DA CONFERÊNCIA DE MUNIQUE, ENTÃO, FRANÇA E INGLATERRA SE DISPUSERAM A AJUDAR QUALQUER NAÇÃO QUE TIVESSE SUA INTEGRIDADE AMEAÇADA.
•             HITLER ALMEJA A POLÔNIA, O CORREDOR POLONÊS uma estreita faixa territorial que permitia à Polônia uma saída para o mar.
•             URSS ACORDA E SE APROXIMA DE ALEMANHA
•             ALEMANHA APROVA PARA EVITAR UMA GUERRA DE DUAS FRENTES
•             1939 = PACTO DE NÃO AGRESSÃO ENTRE ALEMANHA E URSS
•             DIVISÃO DA POLÔNIA ENTRE ELAS
•             COM O SINAL VERDE DADO POR STALIN, HITLER SEGUIU EM FRENTE
•             1 DE SETEMBRO DE 1939  HILTER INDADE A POLÔNIA
•             TOMA O PAÍS EM 3 SEMANAS
•             3 DE SETEMBRO  FRANÇA E INGLATERRA DECLARAM GUERRA À ALEMANHA
•             INÍCIO DA SEGUNDA GUERRA

Primeira fase: BLITZKRIEG => rápido avanço do eixo

Força aérea alemã: LUFTWAFFE

1940 – forças alemãs conquistam a Dinamarca, a Holanda, a Bélgica, a Noruega e a França (República de Vichy)

1941 – CHURCHILL entra no poder na GB e começa a prestar mais atenção na Alemanha.

1941: dois pontos chave: invasão da URSS pela Alemanha e ataque japonês a PEARL HARBOR (tentativa de atacar rapidamente os EUA para que não tivessem tempo de resposta. 2 mil soldades norte-americanos morreram, mas não adiantou muito porque os EUA responderam com bombas nucleares...)

EUA entraram na guerra por causa do ataque japonês e reviraram o conflito.

Segunda-fase: 1942-1945 à EUA, GB, URSS e seus aliados conseguem rápidas vitórias

URSS => tática de terra arrasada contra os alemães

Os soviéticos permitiram que Hitler fosse domindando cidades importantes como Leningrado, Stalingrado, preparando-se para o contra ataque quando chegassem a Moscou.

Os alemães não conseguiram tomar Moscou.

Os soviéticos quebraram a invencibilidade alemã. PRIMEIRA RENDIÇÃO ALEMÃ.

EUA em 1941 passam a doar enormes quantidades de equipamento bélico, tanques, navios e aviões de boa qualidade.

1942: TRATADO DAS NAÇÕES à determinava o fim do extermínio completo dos regimes e a retomada dos status quo territorial. Países que assinaram: França de De Gaulle, Inglaterra de Churchill, URSS de Stalin e China de Xiang Kai-shek
Mao Tse-tung e Xiang Kai-shek se juntaram para lutar contra o Japão nessa época

Junho de 1942: EUA vencem Japão em importantes batalhas como as de Midway e Mar de Coral.
Tomadas avassaladoras dos Aliados na África à AFRICAKORPS

Ao final de 1942, ingleses avançam sobre Itália e Alemanha.

1943 – Aliados invadem a Itália

Mussolini foi deposto e o novo governo italiano assinou a paz com os aliados em 8 de setembro de 1943.

Em abril de 1945, 25 mil combatentes da Força Expedicionária Brasileira (FEB) integraram as tropas aliados que esmagaram a resistência nazista na Itália.

1944 – Conferência de Yalta, onde o mundo seria dividido em áreas de influência entre EUA e URSS

Breton Woods à conferência que falava sobre a arquitetura econômica e financeira dos pós guerra

Conferência de Potsdam à Divisão da Alemanha e Berlim

24 de outubro de 1945 à Assinatura da Carta da ONU na Conferência de San Francisco

2 de setembro de 1945 = rendição japonesa

FIM DE GUERRA

CONTROVÉRSIA DE FISHER – NÃO HAVIA COMO ENCONTRAR O CULPADO PELA GUERRA



GUERRA FRIA

1947 – EUA inaugura de fato a política de contenção: CORDÃO SANITÁRIO, que era algo passivo.
1955 e 1956 – coexistência pacífica
1955 – Conferência de Bandung
1956 – crise de Suez
1968 – TNP
1986 – Perestroika e Glasnost
1989 – Queda do muro
1991 – fim da URSS
EUA de Truman pediu ajuda para a Turquia para conter os soviéticos e instalou mísseis no país.

MACARTISMO – caça aos comunistas

Quando McCarthy foi capaz de chegar na fronteira com a China, na guerra da Coreia, foi um momento quente na guerra fria

Em 1910 o Japão ocupou a Península da Corea, ainda unida.

A Corea já havia sido ocupada pela China, mas sempre menteve sua cultura, língua e escrita...

Em 1950 começou a guerra pois a China queria ocupar a Península toda.

Forças comunistas concentradas mais ao norte, próximas à China.

Começava a guerra entre comunistas e capitalistas

EUA tentaram controlar o general McCarthy pois sabiam que a guerra fria era um jogo de soma zero. Se chegassem muito perto dos comunistas no caso da Corea, os comunistas chegariam muito perto deles em outra lugar do mundo.

China e EUA tinham armas nucleares. Facilmente poderia se iniciar um conflito sistêmico
Resultado: divisão da Corea

Formava-se a República Democrática da Corea e a República Popular da Corea

Entre uma Corea e outra tem uma área “desmilitarizada”, que só possui esse nome porque não tem soberania, mas é a região mais militariazada do mundo.

“Sunshine Policy” – tentative de reunir as duas Coreas

1955 – Bandung à movimento de não alinhados

Houve depois, uma concordância entre EUA e URSS em Suez sobre o trânsito na Península de Sinai. Eles deixaram a GB em segundo plano e concordaram entre si sobre o caso.
Houve, portanto, uma tentativa de coexistência pacífica entre os dois.

Não foi uma distenção complesta, porque e 1961 teve a crise do Muro de Berlim, quando foi construido o Muro.

Foi um dos momentos mais críticos com relação ao financeiro dos EUA, que tinha de abastecer o lado ocidental por aviões.

1962 – CRISE DOS MÍSSEIS
·         Mísseis apontados para a URSS na Turquia
·         Logo, soviéticos pensaram em Cuba.
·         EUA chegam a fazer um cerco à Cuba, mas sabiam que não podiam fazer muito, senão Orlando seria atacada e começaria um conflito nuclear

EQUILÍBRIO DO TERROR à URSS TIRARIA OS MÍSSEIS DE CUBA E OS EUA, DA TURQUIA
O caminhar da década de 60 foi pacífico porque houve o reconhecimento do equilíbrio do terror

BRECHAS NA BIPOLARIDADE:
·         1955 – Bandung
·         1961 – Belgrado
·         1966 – De Gaule começou a fazer especulação contra o dólar
·         1971 e 1979 – SALT à para limitar a quantidade de armas nucleares que cada país poderia ter.
·         1975 – Conferência sobre segurança internacional, que reuniu países da Europa ocidental e oriental
·         1979 – URSS invadiu o Afeganistão, mas os EUA tinham protegidos ao redor (Paquistão, Uzbequistão...)

·         URSS estava esquentando o clima, assim.
·         Então, para impedir a URSS, EUA financiaram o Talibã, Bin Laden. =O

·         Foi o momento em que começou a segunda guerra fria

·         Reagan com seu projeto de “Guerra nas estrelas”, onde um suposto escudo protegeria os EUA dos ataques soviéticos

·         A sorte era que, em 1986, a URSS mal tinha tempo para cuidar de si mesma, quanto mais, de atacar aos EUA
·         Então, houve a Glasnost, que foi a abertura política da URSS e a Perestroika, que foi a abertura econômica

·         1989 – queda do muro

·         1991 – fim da URSS


“Não vamos estudar a história dos grandes conflitos em seus conflitos separadamente, vamos ver o todo, contar a história inteira. Se formos buscar o porquê dos conflitos recentes, teremos que voltar às suas verdadeiras origens, nos séculos passados.” Mariana Kalil

Bom Estudo!

REFERÊNCIA:
AULA MARIANA KALIL – 15 DE MAIO DE 2014
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL. DISPONÍVEL EM: http://www.prof2000.pt/users/afp/ides3.htm. Acesso em: 22 de maio de 2014


terça-feira, 13 de maio de 2014

Defesa e Gestão Estratégica Internacional ganha destaque na página do MINISTÉRIO DA DEFESA no facebook


"Civis especialistas em segurança pública e 

preparados para formular e analisar políticas 

de governo na área de defesa. O perfil 

profissional citado é da primeira turma do

curso de Defesa e Gestão Estratégica 

Internacional da  UFRJ, que acabou de se 

formar. O Ministério da Defesa parabeniza os 

novos especialistas e convida seus

seguidores a conhecer as cooperações do 

MD com o meio acadêmico."



Sim! Retirado da página do Ministério da Defesa no Facebook.

Segue o link da notícia: https://www.facebook.com/photo.php?
fbid=622476011178769&set=a.319511324808574.70098.319496901476683&type=1

O convite feito aos novos profissionais segue no link abaixo:
http://www.defesa.gov.br/index.php/espaco-academico/apresentacao

O Ministério da Defesa convida aos alunos de DGEI a participarem do DICOOP que é a divisão e cooperação que junta estudos civis e militares nos temas relacionados a defesa e segurança, além de disseminar a cultura de defesa no país.

Ótimo saber que o Ministério da Defesa nos reconhece e que somos bem-vindos a juntar nosso conhecimento com os militares.

Fica a dica! Venha conhecer DGEI!
=)

UH! DEFESA! UH! DEFESA!