Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

III Semana de Defesa


Venham para a semana de Defesa e inscrevam-se nos minicursos!

Durante a terceira Semana de Defesa e gestão Estratégica Internacional, teremos os seguintes minicursos:

  • O Brasil no Cenário Internacional Presente e Futuro: Defesa e Estratégia -  Dr. Claudio Correa e Bernardo Monteiro  (Terá sua primeira parte na terça-feira e dará continuidade na quarta-feira)


  • Intuição e Análise em Tomada de Decisão - Dr. Marcos Avila (Acontecerá somenta na terça-feira)


  • Gerenciamento de Desastres - Dra. Andréia Pereira Escudeiro (Acontecerásomente na quarta-feira)


  • Os Interesses Brasileiros na Regulação do Uso do Mar: A Amazônia Azul e o Direito do Mar -  Capitão-de-Mar-e-Guerra André Panno Beirão (Acontecerá somente na terça-feira)

  • Introdução ao Direito Internacional Humanitário - Tenente-Coronel Flammarion (acontecerá somente na quarta-feira)

 Mais informações no site:


Terceira Semana de Defesa

Neste mês, o curso de Defesa e Gestão Estratégica Internacional estará apresentando a III Semana de Defesa, no Campus do Fundão, UFRJ, entre os dias 11 e 14 de novembro.

Para mais informações, acessem a página do Facebook

https://www.facebook.com/events/640267239327388/?previousaction=join&source=1

Ou o site:

 http://www.semanadefesa.com.br/

A Semana de Defesa e Gestão Estratégica Internacional (SDGEI) é um projeto dos alunos da graduação em parceria com a UFRJ, professores, laboratórios e empresas. Chega este ano em sua 3ª edição com o tema:

A Estratégia Brasileira de participação nos


 temas de Defesa e Segurança.

Vale à pena ir!


Ementas da disciplinas do Segundo Período

Teorias de Segurança e Defesa 
Noções gerais de política e estratégia; teorias de segurança e defesa: Sun Tzu, Carl Clausewitz, Maquiavel, Kenneth Walttz, Raymond Aron, Barry Buzan etc O debate contemporâneo da segurança internacional, segurança internacional multifatorial.


Metodologia da Pesquisa Científica I
A busca e formação do conhecimento. Os diversos tipos de conhecimento. O método científico. Tipos de pesquisa. Elaboração, apresentação de trabalhos técnico-científicos e divulgação (projeto, relatório, resumo, pôster, monografia e artigo científico). Ética em pesquisa. Produção científica no campo de Defesa e Gestão Estratégica Internacional.

Macroeconomia
Noções básicas sobre os agregados macroeconômicos: conceito de moeda e agregados monetários, noções de contabilidade social; conceitos e medidas de inflação e de emprego; Introdução à determinação do produto numa economia fechada: produto de equilíbrio e o multiplicador; o setor governamental, déficit do governo e política fiscal; política monetária, taxas de juros e a determinação do produto; Introdução à determinação do produto numa economia aberta: noções sobre taxa de câmbio e regimes cambiais; demanda agregada e determinação do produto numa economia aberta; noções de política econômica numa economia aberta.

Economia Política Internacional
Formação do sistema interestatal capitalista; debates sobre as origens do capitalismo; A evolução da interação entre Estado e mercado no Sistema Internacional, principais correntes teóricas da Economia Política Internacional; o debate sobre a estabilidade hegemônica; Regimes Monetários e Financeiros Internacionais e Relações de poder Internacionais; Blocos regionais e processos de integração em perspectiva histórica; Principais debates sobre as perspectivas do sistema econômico internacional.

Política Externa Brasileira I
O Império: as relações internacionais brasileiras entre 1822 e 1889. A relação com a Região Platina. A Guerra do Paraguai. A expansão das fronteiras: a ação do Itamaraty. A consolidação do ciclo exportador de café. A escravidão como fonte de crises internacionais. A relação com a Inglaterra. A influência francesa. A relação com os Estados Unidos. A crise do Império e seus efeitos sobre as relações internacionais brasileiras: crise ou continuidade? A República: O advento da República e a reorientação da política externa. A ação internacional do Rio Branco. As relações com os Estados Unidos. O Brasil e a Primeira Guerra Mundial. A candidatura do Brasil a um assento permanente na Liga das Nações. De Vargas à Política Externa Independente. A qüidistância pragmática. Dutra e o alinhamento na Guerra Fria. JK e o início da diplomacia brasileira contemporânea. A Política Externa Independente.


Ementas das disciplinas do Primeiro Período

Análise de sociedade e Estado

A proteção dos Direitos Fundamentais como limite ao Poder do Estado. Os Direitos constitucionalmente garantidos e suas garantias. O Princípio da Igualdade. O Princípio da Legalidade. Os Direitos Individuais e coletivos. Liberdade Sindical. Nacionalidade e Cidadania. Os Partidos Políticos e os Direitos Políticos. Liberdade de Iniciativa e Propriedade Privada. Os Direitos Econômicos e Sociais. O papel da sociedade na efetivação dos Direitos.

Fundamentos da economia

Introdução à História do Pensamento Econômico; Microeconomia: teoria de preços, diferentes enfoques sobre o papel da concorrência e as estruturas de mercado; Introdução às teorias do Desenvolvimento e do Comércio Exterior.

Interpretações do Brasil

Pensamento social no Brasil: Florestan Fernandes, Sérgio Buarque de Holanda, Gilberto Freyre, Celso Furtado, Darcy Ribeiro; elementos histórico-culturais para a formação da cultura brasileira; instituições políticas no Brasil; partidos políticos e eleições: interpretações e debates; relações Executivo-Legislativo; federalismo.

Introdução ao Estudo da Defesa

A evolução do conceito de defesa: da “segurança nacional” na Guerra Fria ao conceito abrangente de “security”. O papel da ameaça militar. Outras ameaças não-militares: meio-ambiente, terrorismo, epidemias, etc. Proliferação de armas nucleares. A ameaça das armas biológicas. O conceito de estratégia de defesa. Democracia e estabilidade internacional. Segurança humana. O problema das migrações internas. O crescimento das forças privadas de segurança. O papel das ONGs e das empresas multinacionais.

Teoria das Relações Internacionais


O surgimento das relações internacionais: a análise de E.H. Carr do período Entre-guerras. A análise realista clássica. A análise realista moderna. O realismo estratégico. A visão liberal. O construtivismo. As organizações internacionais. O papel das organizações não-governamentais no cenário internacional. Globalização e Relações Internacionais. As Relações Internacionais no Século XXI.

Geopolítica 
Geografia política e geopolítica. Abordagem contemporânea da geografia do poder, Estado, Nação e Território: concepções clássicas e contemporâneas. O Estado local, a política e a gestão do território.

domingo, 27 de outubro de 2013

O que os alunos de DGEI andam fazendo?

A primeira turma de DGEI vai se formar neste ano.
Dúvidas crescentes, com certeza rondaram a cabeça de muitos alunos durante estes 4 anos.
São pessoas que acreditaram, pessoas corajosas, que seguiram em frente e decidiram levar o curso até o fim, dando um voto de confiança ao novo curso da UFRJ.
Meus parabéns a todos que decidiram levar o curso de Defesa a sério. Aos que acreditaram, acima de tudo!
Muitos de nós passamos por dúvidas sobre o futuro profissional e isso é algo que nos acompanha ainda por muito tempo.
São diversas as pressões que sofremos.
A sociedade acaba impondo um modelo de sucesso, nem sempre atingido por todos, e em todas as profissões.
Alguns atingem o modelo padrão de sucesso, outros não.
Alguns ficam frustrados por não conseguirem atingir tal objetivo, outros arrumam outros padrões de sucesso para alcançar.
A maioria dos pais desejam que os filhos trilhem caminhos já conhecidos e que garantam o sucesso imediato.

...A casa, o carro, o" futuro garantido", como dizem...

Logo, seria melhor escolhermos a tríade Engenharia, Medicina e Direito.
São profissões sedimentadas, fortes.
Porém, o que seria do mundo sem outros profissionais?
É preciso abrir horizontes.
Estamos nos formando para trabalharmos em diversas áreas, dentre elas, organizações políticas. Somos sim, muito importantes.
Temos um curso multidisciplinar, que nos dá uma bagagem e tanta para encarar o mercado profissional.
Mas, apesar de tudo isso, ainda é difícil lutar contra a sociedade, ter de explicar o que somos, vencer preconceitos e mostrar o que queremos.
É algo que me causa orgulho, ver que a cada período, novos aventureiros entram para nosso curso e que a nota de corte para ser aprovado sobe a cada ano.
Somos um curso altamente competido pelos vestibulandos.
O mundo está se abrindo. As relações internacionais estão ganhando um novo ramo: Defesa e Gestão Estratégica Internacional, muito prazer!

Que bons ventos soprem para nós!
Está chegando a aprovação do curso pelo MEC!


Segundo Período de DGEI

Olá, Boa noite a todos!
Gostaria de avisar que estou providenciando o material das ementas, separadamente para cada período de Defesa e Gestão estratégica Internacional.
Estou, junto a secretaria, juntando as ementas, de modo que eu possa digitalizá-las e expor aqui neste blog.
Por enquanto, vou mostrar aqui a grade curricular do segundo período do curso.

SEGUNDA-FEIRA

Teorias de Segurança e Defesa - 17:50 - 21:50
Professor Henrique Paiva (Lattes citado no primeiro período)

TERÇA-FEIRA

Metodologia da pesquisa científica I - 17:50 - 21:50
Professora Maribel Carvalho Suarez
http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4599606P0

QUARTA-FEIRA

Macroeconomia turma B - 13:15 - 15:15
Professor Daniel Negreiros Conceição
http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4744107D0

Economia Política Internacional - 17:50 - 21:50
Professor Eduardo Crespo
http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4275472P4

QUINTA-FEIRA

Política Externa Brasileira I - 17:50 - 21:50
Professora Mariana Kalil
http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4456308T7

SEXTA-FEIRA

Macroeconomia turma B - 15:50 - 17:50
Professor Daniel Negreiros Conceição

Macroeconomia turma A - 17:50 - 21-50
Professor Daniel Negreiros Conceição

Gostaria de salientar que as aulas que constam como até 21:50, terminam mais cedo por conta da segurança na Cidade Universitária.
Os ônibus passam internamente sem problemas até às 22:00, depois disso, ocorre uma grande escassez, tornando o local periogoso, pois a Cidade Universitária é muito grande. Existem carros de policiamento rondando os pontos de ônibus depois de muitos pedidos dos estudantes, após inúmeros assaltos. Ainda há muito o que fazer para a melhoria da questão segurança na UFRJ, campus do Fundão, mas avanços já estão acontecendo. Eu, particularmente nunca vi nada de errado, nunca fui assaltada, mas acontece ainda, mesmo que pouco. É preciso tomar cuidado. No horário de 22:20, um ônibus interno UFRJ sai do Campus do Fundão e vai até a praça XV, passando pela Avenida Brasil e deixando alunos ao longo do caminho. É, quem sabe a última opção garantida de sair da Cidade Universitária à noite, já tarde.

Logo farei novas postagens sobre as melhorias na UFRJ, apresentando o Bandejão, o restante do curso de DGEI, e outras curiosidades...

Abraços a todos!